About nódoas negras

Sabes.

Novo Álbum dos The Knife em 2012

A última vez que ouvimos falar deste duo sueco foi quando lançaram o seu álbum Silent Shout (se excluirmos a ópera “Tomorrow, in a year” em colaboração com MT Sims e Planningtorock, baseada na obra de Charles Darwin: “A Origem das Espécies” , lançada no inicio ano passado)  e já lá vão cinco anos. A banda synthpop formada pelos irmãos Dreijer (Olof e Karin) confirma assim no seu website que está a trabalhar num novo LP.

The Knife

Este será o quinto álbum do grupo sucedendo aos álbuns: The Knife, Deep Cuts, Hannah med H Soundtrack e o acima referido, Silent Shout. Este último foi eleito como dos melhores álbuns do ano pela maioria das revistas de música (NME; Pitchfork, Under the  Radar, apenas nomeando algumas).

Aclamados pela crítica e com uma legião de fãs ansiosos pelo retorno da banda este álbum é, sem dúvida, um dos mais aguardados do próximo ano.


Advertisements

Fight For Your Rights Revisited

Make Some Noise, o primeiro single do novo albúm dos Beastie Boys, Hot Sauce Committee Pt. 2., é quase tão incrível quanto a curta metragem que o completa. Depois da estreia em Sundance e os cinco minutinhos do vídeo oficial, chega-nos finalmente na íntegra e sem censuras. Realizada pelo Ad-Rock (ou vá, Adam Yauch) conta com a participação de basicamente toda a malta que interessa em Hollywood e responde às questões que nos atormentavam desde 1986: “Quanto tempo demoraram os pais a limpar a casa?”, “Quem comprou as tartes?”, “Será que eles continuaram a lutar pelos seus direitos?”, etc.

Fight For Your Rights Revisited serve de sequela ao clássico videoclip, começando com Elijah Wood, Seth Rogen e Danny McBride à procura de cerveja. Pelo meio há miúdas fãs de Van Halen, vitrines partidas, trips de ácido inesperadas, porrada em restaurantes, atropelamentos, um dance off com os B Boys do futuro (John C. Reilly, Will Ferrell e Jack Black) que mudará o destino da humanidade e um festival de mijo, até que a polícia aparece (os verdadeiros Beastie Boys) e a festa termina com a promessa de voltar daqui a 25 anos.

Até lá, é fazer barulho.

Che-che-check it out.

Festival Paredes de Coura 2011 – Primeiras Confirmações

Foram hoje apresentadas as primeiras confirmações para o festival Paredes de Coura 2011 pela promotora Everything Is New.

Nesta edição do festival podemos contar com a presença dos Crystal Castles (dia 17 de Agosto),  Esben & The Witch (dia 18),  Deerhunter (dia 19) e de Two Door Cinema Club (dia 20). Estas quatro confirmações vêm juntar-se à confirmação de Metronomy (dia 20).

O festival minhoto cumpre assim o que promete quando em declarações à Agência Lusa João Carvalho disse que: “Em meados de Abril vamos anunciar os primeiros nomes”.

A edição deste ano será a 18ª do festival e olhando para as primeiras confirmações podemos antever que muitos fãs já estão de água na boca devido à expectativa em relação às próximas confirmações

Best Coast – Lux

Pela segunda vez em solo lusitano, os Best Coast, banda de Bethany Cosentino, Ali Koehler (ex-baterista das Vivian Girls) e Bobb Bruno presentearam o público lisboeta com um concerto. Desta vez em nome próprio, (sendo que da primeira vez foi no festival Paredes de Coura no ano transacto), as expectativas eram elevadas para a banda californiana que o ano passado, com o seu álbum “Crazy For You” se instalou no número 39 do top 50 da revista online de música Pitchfok e que ao longo destes últimos meses tem sofrido de grande hype por parte do mundo indie/alternativo da música.

Com um som que pode ser apelidado de beach rock, ou mesmo surf rock levaram os seus fãs ao rubro apesar das dificuldades técnicas que foram notórias durante toda a performance. O concerto iniciou-se com Bratty B e apesar dos lábios de Beth Cosentino se moverem os únicos sons emitidos eram os das guitarras, da bateria e dos fãs fervorosos que entoavam a música em plenos pulmões. Depois de questionar o público acerca do som do microfone e de confirmar que a sua voz tinha sido inaudível voltou a questionar o público, desta vez para perguntar se deveria ou não repetir a canção, obviamente que o público uivou que queria a repetição e assim Beth e a sua banda o fizeram.

Por entre “Ohos” e “Ahas”, que cada vez mais se tornam a imagem de marca da banda de Los Angeles, a voz de Beth por vezes doce, por vezes feroz, por vezes errática proporcionou uma visita guiada por entre os seus amores e desamores e pela sua vida de mulher emancipada e que sabe o que quer. Músicas como “Boyfriend”, “That’s The Way Boys Are” e “When I’m With You”, esta última sendo o apogeu do concerto com o público a cantarolar “When I’m with you I have fun, oh when I’m with you I have fun” vezes sem conta, foram moodsetters. Quantos de nós já não tivemos um amigo que poderia ser aquele/a que nos faria feliz? “I wish he was my boyfriend, I was he was my boyfriend, I’d love him ‘till the very end, but instead he is just a friend” e quantos de nós já não tivemos um desgosto amoroso com um bad boy?

Os fãs portugueses foram também brindados com a música “Sunny Adventure”, que raramente faz parte das setlist da banda, mas que a pedido de elementos do público foi tocada.

O humor foi também uma constante durante o concerto com referências a erva, a Nathan Williams (vocalista dos Wavves e namorado de Bethany) e a Snacks (gato da banda tornado famosos através da rede social Twitter e que também aparece representado na capa do álbum da banda).

De forma geral os Best Coast não desapontaram, mas verdade seja dita que os problemas técnicos foram de facto bastante penosos e fizeram com que a actuação fosse vacilante. Se a duração das músicas não fosse tão curta (raramente apresentando mais de três minutos) provavelmente os problemas técnicos seriam ainda mais notórios também de referir que uma das críticas que muitas vezes lhes é apontada desta vez, e por mero acaso, pode de facto, ter-se tornado uma vantagem.

Os Best Coast despediram-se assim do público português com promessas de retorno em breve e deixando assim os seus fãs satisfeitos.